O que é um teste pneumático

Um ensaio de pressão verifica a capacidade de pressão ou testa a pressão atual de um sistema. Um teste pneumático é um dos vários tipos de ensaio de pressão.

Um equipamento de medição deste porte inclui os medidores que leem a pressão e uma fonte de gases comprimidos.

O teste de pressão é crítico em um número de áreas industriais,  por razões de segurança e para o bom funcionamento do equipamento.
Em testes de pressão, se o fluido utilizado para pressurizar o sistema é um líquido, geralmente água, o teste é chamado de teste hidrostático.

Um teste é considerado pneumático quando o fluido a ser utilizado é um gás, geralmente ar ou um gás inerte. Na determinação da capacidade de pressão de um sistema, todas as portas para o sistema permanece fechada exceto aquela através da qual o fluido é adicionado até que seja classificada a pressão e o sistema for alcançado. A pressão não pode ser conseguida caso haja desvios, fugas no sistema, ou uma falha no sistema por danos causados no processo.

Um teste de pneumático é inerentemente mais perigoso do que um ensaio hidráulico devido ao conteúdo mais elevado de energia de um gás comprimido, e este tipo de teste é limitado a pressões mais baixas ou sistemas menores. Uma lesão grave ou morte pode ocorrer devido às explosões durante um teste pneumático.

 Os procedimentos de segurança para estes testes pneumáticos são amplamente documentados em referências de engenharia e livros de código de segurança em diversos países.

A Sociedade Americana de Engenheiros Mecânicos (ASME) atualiza sistemas de segurança em caldeiras, como o código de segurança para trabalhos em caldeiras e vasos de pressão (BPVC), e oferece programas de treinamento e certificação dos técnicos em todo o mundo.

Uma desvantagem dos testes hidrostáticos é a introdução de água nos sistemas que devem ser água corrente. Para testar grandes sistemas de alta pressão, um ensaio pneumático de baixa pressão pode ser utilizado para detectar fugas seguido por um ensaio hidráulico de alta pressão antes da realização da instalação. Alternativamente, o metanol ou o hidrocarboneto líquido, podem ser utilizados no lugar de um ensaio pneumático. Os testes de vácuo são limitados a baixas pressões, bem como, são menos perigosos do que os testes pneumáticos e são frequentemente utilizados em laboratórios para verificar se há vazamentos em instalações de vidro.

Um exemplo comum de uma medição de pressão pneumática é o uso de um medidor de pressão do pneu, para calibrar a pressão dos pneus de automóveis. Um mecânico também mede a compressão sobre um motor de automóvel, executando a operação medindo a pressão em cada um dos pistões. Os sistemas criogênicos, tais como aqueles utilizados em laboratórios médicos, e de refrigeração são frequentemente testados pneumaticamente.

Para medir a pressão em sistemas com um teste pneumático, um manômetro de pressão com um diafragma interno deformável é utilizado. A pressão é a diferença entre a pressão do sistema e a pressão atmosférica que é muitas vezes relatado em libras por polegada quadrada. Na concepção de um reator, onde a pressão de funcionamento pode ser necessária para iniciar a operação a partir de uma perspectiva cinética ou termodinâmica, o uso de cálculos com base na lei dos gases é necessária, a pressão atmosférica, 14,7 psi (101,3 kPa) deve ser adicionada à pressão manométrica para obter a pressão total do sistema.

Créditos: Roberta Gouveia

Fonte: Mecânica Industrial